UNIUBE - Mestrado em Educação
Missão: "Promover o ensino e a geração de conhecimento, formando o profissional compromissado com uma sociedade justa."  
Compartilha: 
PROPEPE - Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Extensão

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO

GRUPOS, PROJETOS E REDES DE PESQUISA EM ANDAMENTO – GRADUAÇÃO (INICIAÇÃO CIENTÍFICA), MESTRADO E DOUTORADO

Os professores e professoras do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Uberaba desenvolvem seus projetos de pesquisa com financiamento interno e/ou externo à instituição, com a finalidade de contemplar alunos e alunas em processo de iniciação científica, de mestrado e de doutorado. Além disso, lideram grupos e redes de pesquisa na área de educação.

Abaixo, segue os projetos de pesquisa em andamento, por linha de pesquisa e docente, vinculados ao referido Programa. Segue também as Redes e Grupos de Pesquisa que estão com atividades em andamento.

Linha I – Desenvolvimento profissional, trabalho docente e processo de ensino-aprendizagem



Professora Dra. Adriana Rodrigues

• 2018 - Atual

Didática desenvolvimental: contribuições para o processo ensino-aprendizagem
Descrição: Esse projeto de pesquisa, de cunho conceitual bibliográfico e de campo, intenciona identificar e compreender as contribuições dos pressupostos da Didática Desenvolvimental e da Teoria Histórico-Cultural, notadamente os sistemas didáticos Elkonin-Davidov e Galperin-Talízina, para pensar/refletir/estruturar o processo ensino- aprendizagem no contexto da educação escolarizada, nos diversos níveis e modalidades. Com essa investigação científica espera-se contribuir para a compreensão dos sistemas didáticos elencados, assim como vislumbrar outras possibilidades de organização do ensino de conteúdos escolares.





Professora Dra. Marilene Ribeiro Resende


• 2017 - Atual

Desenvolvimento Profissional Docente: concepções, práticas e articulações

Descrição: A formação de professores, os seus saberes e práticas pedagógicas são temáticas de pesquisa, discussões e estudos, que não se esgotam, pois se situam num contexto cujas características são fundamentalmente, a fluência, isto é, o vir-a-ser, e a interdependência, isto é, a relação que se estabelece entre os fenômenos sociais, tecnológicos, políticos, culturais, naturais, econômicos, dentre outros, e, consequentemente os educacionais. Neste sentido, trata-se de temáticas sempre atuais, necessárias e relevantes, no campo da educação e da pesquisa. A formação de professores e o seu desenvolvimento profissional são questões complexas, multidimensionais, pois envolvem múltiplos aspectos sempre em movimento. Como se dá o desenvolvimento profissional docente nos diferentes níveis de ensino e em suas inter-relações com o desenvolvimento curricular, com o desenvolvimento institucional, com o desenvolvimento da profissionalidade e com o desenvolvimento do ensino, nessas primeiras décadas do século XXI? Essa é a questão geral que orienta esse projeto guarda-chuva, que abriga/rá outros subprojetos de pesquisa, incluindo alunos de doutorado, de mestrado e de iniciação científica. O objetivo é compreender o desenvolvimento profissional docente em suas múltiplas relações e articulações, no contexto educacional do século XXI. “Desenvolvimento Profissional docente” é aqui entendido como um processo contínuo, evolutivo e contextual, que promove o desenvolvimento pedagógico, o desenvolvimento teórico, o desenvolvimento pessoal (cognitivo, emocional, afetivo, etc). É entendido como processo que se articula ao desenvolvimento do ensino (práticas pedagógicas), ao desenvolvimento curricular (concepção de currículo, políticas relacionadas aos aspectos curriculares, inovação, papel da escola, do professor e do aluno), ao desenvolvimento da profissionalidade (condições de trabalho, autonomia, carreira, etc), desenvolvimento institucional (desenvolvimento de todos os envolvidos, das políticas, da dinâmica organizacional). Envolve a formação inicial, a formação continuada, como processos dinâmicos e complementares, os saberes e os conhecimentos profissionais. Os subprojetos se guiarão por questões tais como: Quais são as práticas pedagógicas dos professores nos diferentes níveis de ensino, num dado momento e num dado contexto? Quais são as necessidades formativas dos professores nos diferentes níveis de ensino e nos diferentes momentos da carreira docente? Quais as representações construídas sobre as práticas docentes por professores e alunos? Que significados constroem os professores sobre a formação que lhes é oferecida? Que conceitos específicos, didáticos, tecnológicos eles constroem em propostas de formação, sobretudo em formação do tipo colaborativa?


• 2017 - Atual

Conteúdos algébricos no Ensino Médio: discussões e propostas na perspectiva da teoria histórico cultural

Descrição: O projeto proposto tem a característica de um projeto “guarda-chuva”, no qual se abrigarão outros subprojetos. Insere-se no contexto da discussão da reforma do Ensino Médio e do questionamento ao discurso que conduz à desvalorização dos conteúdos e que permeia a educação na atualidade. Esses são taxados de “coisas mortas”, que não tem relevância para a vida dos jovens hoje, pois muitos deles não têm aplicação imediata em suas vidas. Assim, move-nos para a investigação a seguinte questão norteadora: Os conteúdos de álgebra propostos para o Ensino Médio nas últimas três décadas são conteúdos “mortos”? O que lhes pode dar vida? Aliadas a essa, outras questões emergem como: Quais conteúdos de álgebra têm sido propostos para o Ensino Médio nas duas últimas décadas? Quais conteúdos de álgebra têm sido avaliados no Exame Nacional do Ensino Médio e quais os resultados obtidos pelos alunos? Há possibilidades de organização do ensino a partir do movimento lógico-histórico de conceitos fundamentais de álgebra, trabalhados nesse nível? Tem como objetivo geral analisar conceitos essenciais de álgebra, buscando resgatar o seu movimento histórico-lógico, para justificar a sua presença no ensino médio e para indicar caminhos para a organização do ensino, buscando dar-lhes vida. É uma investigação de abordagem qualitativa, envolvendo pesquisa bibliográfica, documental e de campo, tendo como fundamentação teórico-metodológica, a perspectiva Histórico-Cultural. A pesquisa de campo será realizada por meio de experimento didático-formativo, que visa promover o desenvolvimento do aluno a partir de situações que se estruturam em torno de um determinado conceito científico a ser apreendido. Espera-se com essa investigação contribuir para as discussões e propostas para o ensino de álgebra no ensino médio, no contexto das reformas que estão postas, porém, no sentido de valorização dos conteúdos escolares e dos conhecimentos acumulados pela humanidade historicamente.



Professor Dr. Orlando Fernández Aquino

• 2018 - Atual

Necessidades de formação continuada de professores da Educação Básica e Superior em Minas Gerais: um estudo diagnóstico.

Descrição: Os resultados das pesquisas educacionais vêm mostrando que há divórcio entre as políticas públicas e a realidade da formação dos professores da Educação Básica e Superior e que essa distorção tem impacto negativo na aprendizagem dos alunos. Ao mesmo tempo, consolidam-se os estudos sobre necessidades dos professores como uma área emergente de pesquisa na Educação. Assim sendo, define-se como objeto de estudo "as necessidades de formação continuada de professores da Educação Básica e Superior em Minas Gerais". Como elaborar um diagnóstico das necessidades de formação continuada de professores de Educação Básica e Superior em Minas Gerais, estabelecendo as relações entre as políticas públicas, os resultados da investigação científica e o impacto da formação na aprendizagem dos professores e dos alunos? O objetivo é diagnosticar as necessidades de formação continuada de professores da Educação Básica e Superior, por meio do estabelecimento de relações entre as políticas de formação de professores, as ações de formação continuada e o impacto destas na aprendizagem dos professores e dos alunos. A metodologia da pesquisa envolve a pesquisa bibliográfica, a documental e a pesquisa de campo (questionário), envolvendo os seguintes subsistema: 1) as políticas públicas, 2) os resultados das pesquisas sobre formação de professores; 3) o levantamento de dados empíricos sobre as necessidades de formação continuada dos professores em Minas Gerais e seu impacto na aprendizagem dos alunos. Espera-se contribuir com resultados que explicitem as relações entre as políticas, os resultados da ciência sobre a formação do professorado, as necessidades de formação dos docentes e seu impacto na aprendizagem dos alunos. Os resultados são uteis para a melhoria das políticas, para o desenho das ações de formação sob bases científicas e para a melhora da qualidade da aprendizagem dos alunos.




Professora Dra. Sálua Cecílio

• 2018 - Atual

Trabalho e profissão docente na cultura virtual: tendências, conteúdos e implicações para a subjetividade e a saúde de professores.

Descrição: O mundo do trabalho e suas inter-relações com a produção da subjetividade, em tempos de reestruturações produtivas, ensejadas pelas tecnologias digitais e avanço do capitalismo global e flexível, põem à prova o conhecimento e as ações sobre as vidas que se produzem em função dos modos de organização do trabalho que se processam nas primeiras décadas do século XXI. Nesse sentido, este projeto tem como objeto o trabalho docente na cultura virtual em sua organização, tendências e conteúdos, examinado em suas relações dialéticas com a constituição da subjetividade de professores. O objetivo é explicar como se estabelecem tais relações e suas materializações principais na organização do trabalho de professores e na sua condição profissional e pessoal. Interessa conhecer quando e como o trabalho possa ser assumido e desenvolvido por sujeitos que se conhecem, enquanto conhecem o que fazem, e escapam às condições que os expõem à alienação e ao sofrimento. Nesse quadro, a educação em vez de se prestar à formação e efetivação de transformações dos nela envolvidos, reduz-se a um campo como outros tantos do mundo produtivo, em que professores, contrariamente ao esperado, fazem do trabalho um fardo a carregar e não alternativa de autonomia e promessa de realização profissional. Aos moldes de um observatório do trabalho, recorrendo a estudos e a uma metodologia de abordagem dialética, tendo como instrumentos de recolha de informações entrevistas e observações, espera-se que seja possível recuperar o caráter histórico-crítico de trajetórias profissionais e dos contextos em que elas se produzem e se consolidam no âmbito do ensino superior em tempos de transformações nos modos de ser e de trabalhar.




Professora Dra. Selva Guimarães

• 2019 - Atual

Formação docente, saberes e práticas curriculares: um estudo sobre cenários de formação e desenvolvimento profissional docente

Descrição: Partindo do pressuposto de que os projetos de formação, os saberes e as práticas curriculares não são independentes dos sujeitos que os constituem, nos diversos cenários concebidos como tempos e espaços sócio históricos, culturais; que as relações entre os três polos pressupõem tensões, aproximações e distanciamentos, logo estratégica, questiona-se: Como se dá o processo de formação docente, no contexto das políticas públicas educacionais no do século XXI? Como os currículos de são concebidos e configurados no interior das políticas públicas em diferentes cenários? Frente a essas inquietações essa proposta de pesquisa visa aprofundar e ampliar as análises sobre as relações entre a formação docente, os saberes e os currículos desenvolvidos em diferentes realidades educativas e as implicações nas práticas educativas e no desenvolvimento profissional docente.



• 2018 - Atual

Políticas públicas e ensino de História na educação básica

Descrição: O objetivo geral da pesquisa é analisar as configurações constitutivas do ensino de História no Brasil: as políticas públicas do MEC em fase de implementação (BNCC, Reforma do Ensino Médio e PNLD 2019), a formação inicial docente nos Cursos de Licenciatura em História a formação continuada nos Profhistória e as práticas educativas desenvolvidas por professores de História em diferentes culturas escolares nas cinco regiões geográficas do Brasil (norte, nordeste, centro-oeste, sudeste e sul). Objetiva-se analisar o processo de implementação dessas políticas e os resultados/efeitos nos projetos de formação inicial e continuada, nos saberes e práticas de professores de História da educação básica.




Professora Dra. Valeska Guimarães Rezende da Cunha

• 2018 - Atual

A formação inicial para a docência em História e Geografia nos Cursos de Licenciatura das IES públicas no estado de Minas Gerais (2009-2017)

Descrição: Esta proposta de investigação representa uma continuidade, aprofundamento e ampliação de pesquisas anteriores e, nesse sentido, articula-se ao debate nacional e internacional no campo da pesquisa em educação, ensino e aprendizagem de História e Geografia na educação básica. Este projeto faz parte de um projeto maior intitulado Observatório do Ensino de História e Geografia em Minas Gerais: políticas públicas, formação docente e produção de conhecimentos (2009-2017), aprovado pela Fapemig, chamada 01/2016, Demanda Universal. Nesse projeto maior, a equipe está composta pelos professores da UFU, uma professora da UNIPAC, uma professora da UNIUBE e uma da UFVJM (membros do GEPEGH - Grupo de Pesquisa em Ensino de História e Geografia/UFU), graduandos e pós-graduandos. Consideramos as investigações com essas instituições em parceria, envolvendo pesquisadores de diferentes níveis, fator importante para criar uma relação dialógica entre os participantes, favorecer a reflexão, o debate e o crescimento mútuos. O GEPEGH/FACED/UFU é um Grupo de Estudos e Pesquisa em formação docente, ensino de História e Geografia da Universidade de Uberlândia (UFU) e aprovou, recentemente, a Criação do ?Observatório do Ensino de História e Geografia da FACED/UFU, Faculdade de Educação da UFU, que se define como um Programa De Extensão e Pesquisa vinculado ao GEPEGH. Este projeto tem por objetivo mapear, analisar e relacionar a formação inicial de professores para o ensino de História e Geografia nos Cursos de Licenciatura em Pedagogia (que formam professores para os anos iniciais do ensino fundamental) e Cursos de Licenciatura em História e Geografia que formam professores para os últimos anos do ensino fundamental e ensino médio ofertados pelas IES públicas do Estado de Minas Gerais. Trata-se de uma investigação que se situa no campo das pesquisas qualitativas em educação. A investigação produzirá um diagnóstico detalhado das configurações do ensino de História e Geografia no Estado, por meio do levantamento de dados e de uma análise do modo como se processam as relações entre as políticas públicas específicas, a produção acadêmica que tem como objeto o ensino de História e Geografia, e os projetos de formação inicial docente desenvolvidos nas IES públicas no estado de Minas Gerais.


• 2018 - Atual

A tutoria na perspectiva dos professores e alunos do curso de medicina da Uniube: um estudo em representações sociais

Descrição: O estudo objetiva identificar e compreender as representações sociais de professores tutores e alunos, do curso de Medicina, sobre o papel da Tutoria na promoção e no acompanhamento do aluno durante seu processo formativo, tendo em vista a perspectiva da construção do tripé médico: conhecimento científico, habilidades e atitudes. Este estudo parte de controvérsias sobre a importância dessa atividade no curso, sendo que muitas vezes está relacionada à obrigatoriedade e inadequação dos tutores e falta de espaço para a discussão de temas não relacionados à formação médica puramente técnica. Pesquisa de natureza quanti-qualitativa busca respaldo teórico-metodológico na Teoria das Representações Sociais de Moscovici (2003) e na subteoria do Núcleo Central de Abric (2000). Participarão da pesquisa os discentes do primeiro e quarto período do Ciclo Básico; quinto e oitavo período do Ciclo Intermediário; nono e décimo segundo período do Internado e 21 tutores do curso de medicina da UNIUBE. A construção dos dados será realizada por meio de um questionário com questões abertas e fechadas e a técnica de associação livre de palavras, tratadas pelo software EVOC. Para a análise dos dados, além da Teoria das Representações Sociais e da análise de conteúdo de Bardin (2011). Após a identificação das representações, serão mapeadas as potencialidades e as fragilidades com relação ao trabalho desenvolvido na tutoria, em cada ciclo de estudo. A partir dos dados encontrados espera-se que essa pesquisa possa contribuir para compreender a representação social que alunos e tutores apresentam sobre o papel da tutoria identificando tanto as habilidades e competências desenvolvidas nos alunos quanto as práticas pedagógicas desenvolvidas pelos professores.




Professora Dra. Vânia Maria de Oliveira Vieira

• 2018 - Atual


Desenvolvimento profissional de professores da Educação Superior: contribuições da teoria das representações sociais

Descrição: Este projeto integra a RIDEP - Rede Internacional de Pesquisas sobre Desenvolvimento Profissional de Professores, do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade de Uberaba (UNIUBE). Integra também o CIERS-ed - Centro Internacional de Estudos em Representações Sociais e Subjetividade - Educação, da Fundação Carlos Chagas. Este estudo parte do princípio de que grande parte dos professores da educação superior não foram formados para a docência, chegam à universidade sem formação pedagógica sistematizada. Portanto, a problemática que se anuncia diz respeito ao seguinte questionamento: quais as representações sociais dos professores iniciantes sobre formação e desenvolvimento profissional docente? Caracterizado por uma pesquisa quanti-qualitativa, busca respaldo teórico-metodológico na Teoria das Representações Sociais de Moscovici (2003) e na subteoria do Núcleo Central de Abric (2000). Apresenta como objetivo geral identificar e compreender as representações sociais dos professores iniciantes sobre formação e desenvolvimento profissional do professor da educação superior. Inicialmente, estão participando da pesquisa cerca de 60 professores, sendo 20 da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), 20 da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) e 20 Universidade de Uberaba (UNIUBE). A construção dos dados foi realizada por meio de um questionário contendo questões abertas e fechadas e a Técnica de Associação Livre de Palavras (TALP), tratadas pelo software EVOC (VERGÉZ, 2002), que tem como finalidade indicar os possíveis núcleos central e periféricos das representações sociais. No momento, a pesquisa encontra-se no processo de análise dos dados. Para isso, será utilizado o respaldo da Teoria das Representações Sociais e da análise de conteúdo de Bardin (2011). Após a identificação das representações sociais dos professores sobre formação e desenvolvimento profissional docente, serão mapeadas as dificuldades ou fragilidades com relação à formação docente. Para discussão e reflexão dos resultados obtidos, na perspectiva de uma experiência formativa, serão realizados grupos focais nas universidades integrantes da pesquisa, com os docentes que aceitarem participar desta etapa. Propõe-se, agora, a ampliação do número de participação de IES, incluindo o Centro de Estudios de la Educación Superior (Cecess) da Universidad de Sancti Spiritus (UNISS) em Cuba, e a Universidade de Sorocaba (UNISO). Espera-se que a realização desta pesquisa possa contribuir para a identificação e compreensão das representações sociais que influenciam a prática pedagógica dos professores, e, além disso, possibilitar experiências formativas que contribuam efetivamente para o desenvolvimento profissional docente. Palavras-chave: Desenvolvimento profissional, Docência universitária, Representações Sociais, Educação superior, Práticas pedagógicas.



Linha II – Processos educacionais e seus fundamentos

Professora Dra. Fernanda Telles Márques

• 2019 - Atual


Identidade e Diferença no livro didático de História e de Ciências - um estudo comparativo de marcadores sociais de gênero e de etnicidade

Descrição: A pesquisa dá continuidade a projeto anterior, realizado com fomento da FAPEMIG. Trata-se de um estudo comparado sobre a apresentação conceitual e os usos de marcadores sociais de sexo/gênero, raça/etnia em livros didáticos das áreas de Ciências Humanas e Ciências Naturais. O objetivo mais amplo da proposta é analisar, a partir de livros didáticos de História e de Ciências do ensino fundamental II, como se dá a produção de representações e de um imaginário sobre a Identidade e a Diferença. Para alcançar os objetivos propostos, optou-se pela pesquisa bibliográfica e documental, realizadas em abordagem qualitativa. A pesquisa bibliográfica terá início com leituras orientadas e levantamentos nas bases de dados SciELO e Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações - BDTD. Depois de mapear a produção recente (últimos seis anos), o material resultante será triado e incorporado a um programa de leituras organizadas em eixos que atendam às especificidades dos planos de trabalho (PIBIC Jr, IC) e de subprojetos (Mestrado Acadêmico em Educação). Os textos serão lidos, fichados e discutidos no Grupo de Estudos da Educação para a Diversidade e a Cidadania (GEEDICI), do PPGE-UNIUBE. A pesquisa documental envolverá tanto levantamento e estudo de legislação educacional pertinente - com ênfase nos Parâmetros Curriculares Nacionais para o ensino de História e de Ciências do Fundamental II - quanto a análise de textos e imagens encontrados em quatro coleções de livros didáticos (duas referentes a cada área do conhecimento). Na etapa final, os resultados obtidos pela análise categorial temática dos livros serão colocados em cruzamento com os demais dados da pesquisa e discutidos à luz do referencial teórico.



• 2018 - Atual


Educação na diversidade para a cidadania

Descrição: A educação escolar participa da produção social dos sujeitos e da delimitação de espaços a eles reservados. Como vêm demonstrando estudos realizados desde as décadas finais do século XX, os discursos escolares sobre o Eu(nós) e o Outro(eles), a forma como são apresentados corpos, povos, costumes e modos de ser, contribuem para o estabelecimento da diferença e exercem influências na formação de imaginários acerca daqueles que recebem sua marca. Tendo isso em vista, nos últimos 20 anos foram criados dispositivos legais e políticas públicas pelos quais a escola poderia passar de lugar da mera reprodução de imaginários hegemônicos a locus de discussão da identidade/diferença visando a formação de valores democráticos. Foi quando puderam se incorporar, ao cotidiano escolar, temas fundamentais para a constituição de uma educação na diversidade para a cidadania. Isso posto, o projeto abriga pesquisas elaboradas a partir das tensões e contradições que, no período em questão, envolveram e envolvem as relações entre educação, diversidade e cidadania. Trata-se de trabalhos interdisciplinares, que recorrem ao referencial teórico dos Estudos Culturais e que se encontram alinhados ao Grupo de Estudos da Educação na Diversidade para a Cidadania (GEEDiCi).




Professora Dra. Giseli Cristina do Vale Gatti

• 2019 - Atual


O Ensino Secundário em Perspectiva Comparada: historiografia, legislação, instituições e práticas escolares no Brasil e em Portugal no Século XX Descrição: Trata-se de investigação na área de Educação, subárea de História da Educação, dedicada à temática da História do Ensino Secundário. O objeto privilegiado na pesquisa será a comparação do processo de desenvolvimento do Ensino Secundário no Brasil e em Portugal no Século XX, época na qual se consolidaram os regimes republicanos em ambos países e na qual ganhou centralidade a questão educacional. O objetivo geral da investigação é compreender as trajetórias em comum e os elementos diferenciadores do desenvolvimento do Ensino Secundário no Brasil e em Portugal ao longo do Século XX, com especial atenção aos antecedentes, aos contextos históricos, às legislações de ensino, às instituições e às práticas escolares. Para tanto, serão efetivados procedimentos de estudo e de pesquisa pautados pelo: aprofundamento do conhecimento acerca da historiografia, em especial da portuguesa na temática do Ensino Secundário; levantamento e conhecimento mais detalhado da legislação acerca do Ensino Secundário, em especial de Portugal; levantamento das principais instituições escolares destinadas a este nível de ensino em Portugal e no Brasil, com seleção daquelas que poderão ser objeto de aprofundamento; exame das diferentes propostas curriculares em vigor em ambos países; conhecimento dos aspectos principais das práticas escolares efetivadas no Ensino Secundário em ambos países. Para tanto, as principais fontes de pesquisa serão a bibliografia sobre o Ensino Secundário, a legislação de ensino, os currículos e os programas escolares.




• 2017 - Atual


Ensino Secundário no Brasil em Perspectiva Histórica e Comparada (1942-1961)

Descrição: A história do ensino secundário no Brasil vem sendo objeto recorrente de investigações na área de educação. Levantamento parcial, realizado no âmbito do Observatório de Cultura Escolar, identificou mais de 226 produtos, entre dissertações, teses, e artigos em revistas especializadas em história da educação com temas relacionados com ensino secundário, produção que cobre praticamente todos os estados brasileiros. No entanto, apesar do volume considerável, ainda há lacunas a serem preenchidas a respeito da história desse nível de ensino que vem sendo apontado como desafio atual para as políticas governamentais. Um desses desafios relaciona-se com as políticas governamentais formuladas e levadas a efeito, tanto em nível federal quanto estadual e municipal, para expandir e atender à crescente demanda por esse nível de ensino, principalmente no período de 1942 a 1961. Em todo o país a expansão e a propagação do ensino secundário foram muito lentas e receberam pouca atenção do poder público. Por outro lado, estudos coincidem ao apontar forte presença dos governos municipais no atendimento a essa demanda, quer seja tomando iniciativa de criação de ginásios, quer apoiando iniciativas de instituições não públicas, principalmente religiosas, e estaduais. Esse apoio incluía cedência de terrenos ou prédios e pagamento de professores. Mesmo levando-se em consideração que esse período assistiu a um processo de uniformização curricular com a Reforma Capanema associada aos mecanismos de inspeção, pouco se conhece sobre as formas que essa tentativa de homogeneização assumiu nas diferentes instâncias governamentais. Nesse sentido, este projeto tem como objetivo analisar as políticas governamentais para o ensino secundário (ginásios e colégios) em perspectiva comparada; análise ancorada nos documentos governamentais, em dados estatísticos sobre a oferta desse nível de ensino e na documentação escolar. Trata-se, portanto, da realização de uma operação historiográfica que busca localizar e comparar o que as fontes oferecem de informação sobre algumas "noções", aqui tratadas como áreas de comparação: "atendimento à demanda", "cultura escolar", "organização do trabalho escolar”, “edifícios escolares”. Para tanto, essas áreas de comparações traduzem-se não apenas na materialidade dos conceitos eleitos, mas também nos mercados simbólicos que os descreveram, interpretaram e localizaram em uma “retórica historiográfica”. Assim, as áreas de comparação, no caso deste estudo, não estarão limitadas à descrição e, sim, intencionam expor argumentos relacionados aos conceitos teóricos, hipóteses ou modelos explanatórios, pelos quais escolhemos estabelecer a comparabilidade entre os movimentos, acima referendados, observados no interior dos objetos e fontes escolhidas.




Prof. Dr. José Carlos Souza Araujo

• 2018 - Atual


Teorias Contemporâneas da Educação e Política Educacional Brasileira (1971-2018)

Descrição: O objeto busca elucidar as relações entre a política educacional brasileira, expressa desde 1971, pelo viés de teorias contemporâneas da educação, em particular através do Educação Básica, da Educação Superior, da formação de professores, bem como através de suas dimensões vinculadas à Pedagogia, expressas pelas tecnológicas pedagógicas contemporâneas, pela metodologia de ensino participativa e pela organização do trabalho pedagógico e didático.




Prof. Dr. Tiago Zanquêta de Souza

• 2019 - Atual


Educação na diversidade para a cidadania: um estudo de processos educativos e formativos escolares e não escolares

Descrição: Esta investigação é parte do projeto guarda-chuva: “PESQUISA, FORMAÇÃO E INTERVENÇÃO NA EDUCAÇÃO: estudos em contextos educativos escolares e não escolares”. Aborda o tema processos educativos e formativos, saberes docentes, cidadania e qualidade social da educação. Os processos educativos decorrem de uma prática social, qual seja ela. É imprescindível analisar essa prática atrelada ao seu contexto histórico, social e cultural, além de primar pelo reconhecimento, valorização das culturas e pela participação cidadã, na busca incessante pela humanização do ser humano, em busca da consolidação da educação de qualidade social na diversidade para a cidadania. Preocupado com o contexto da educação brasileira, Paulo Freire (2008) declara a urgência da democratização da escola pública, da formação permanente de seus educadores e educadoras. Uma formação permanentemente científica, frisando as práticas democráticas. Nessa perspectiva, definimos a questão orientadora da pesquisa: quais são os processos educativos, formativos e saberes de professores/as em contextos escolares e não escolares? Assim, esta investigação, ancorada nos pressupostos teórico-metodológicos da Educação Popular, tem por objetivos identificar e analisar processos educativos, formativos e saberes de professores/as com vias à humanização, emancipação, autonomia e qualidade social da educação na diversidade para a cidadania; e criar ambientes de aprendizagem colaborativos sobre as dimensões dos processos educativos escolares: práticas pedagógicas, convivência, diálogo e gestão escolar. A metodologia da pesquisa sobre os processos educativos e formativos é de abordagem qualitativa. Quanto aos fins é descritiva e exploratória. Quanto aos meios, a pesquisa é de campo e documental. A pesquisa de campo está vinculada à pesquisa participante, ou à pesquisa-ação colaborativa, cujos instrumentos para coleta de dados serão as entrevistas, questionários, narrativas, rodas de conversa e diários de campo. Espera-se com essa pesquisa revelar processos educativos e formativos em práticas sociais escolares, especialmente vinculados à escola pública e em espaços não escolares que anunciem experiências, outros modos de viver, posturas, condutas, saberes e valores que são empregados como recursos para interpretar e mudar a realidade percebida. Esta investigação está vinculada também à dois grupos de pesquisa: Práticas Sociais e Processos Educativos (CNPq/UFSCar) e Formação Docente, Direito de Aprender e Práticas Pedagógicas e (CNPq/Uniube-Uberlândia), e ao Grupo de Estudos em Educação na Diversidade para a Cidadania (GEEDiCi/Uniube-Uberaba).



• 2018 - Atual

O professor na perspectiva da Educação Popular

Descrição: Atualmente existe uma busca incessante pela consolidação da Educação Popular como área de conhecimento e, junto com essa busca, há também a preocupação com a regulamentação da Educação Popular como profissão e com a definição dos perfis ideais para as pessoas que desejam se tornar Educadoras Populares. Por isso, o objetivo principal dessa proposta de pesquisa é conhecer, definir e identificar o perfil e as funções do Educador Popular, que ainda carece de uma definição de atribuições no cenário educativo atual, para um reconhecimento dessa profissão e pela valorização de seu trabalho, tanto pelas instituições, especialmente as de ensino, como pela sociedade, o que, de sobremaneira, contribuirá para se pensar o professor na perspectiva da Educação Popular. Para isso, estamos lançando mão do referencial teórico-metodológico do estudo do Estado do Conhecimento, a partir de teses e dissertações publicadas entre 2015-2018, na Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações - BDTD. Para análise dos dados, partimos da análise de conteúdo, conforme propõe Bardin (1979). O que se sabe, é que esses profissionais, Educadores Populares, que já exercem uma prática tão relevante e rica em experiências, carecem de uma definição de suas atribuições no cenário educativo atual, para um reconhecimento da profissão e pela valorização de seu trabalho, tanto pelas instituições, especialmente as de ensino, como pela sociedade.




Prof. Dr. Wenceslau Gonçalves Neto

• 2018 - Atual


Ação municipal e educação no Brasil: Minas Gerais na Primeira República

Descrição: Nas primeiras décadas republicanas, em Minas Gerais, presenciamos uma série de iniciativas por parte do governo estadual, na forma de seguidas reformas, sendo a mais destacada a de 1906, que instituiu os grupos escolares. No entanto, diversas diligências ocorreram, da mesma forma, no nível municipal, complementares, compensatórias ou mesmo antecipatórias à ação do estado. E também encontramos nos municípios várias iniciativas de caráter privado, atendendo conclamação dos poderes públicos, se beneficiando de estímulos e subsídios disponibilizados pelos mesmos ou seguindo motivações pessoais ligadas à benemerência ou na procura de contrabalançar a ausência educativa do poder público em seus espaços de atuação. Pelo lado dos municípios, podemos ver em Uberabinha uma preocupação decisiva pela instrução popular: as 4 primeiras leis aprovadas pelos vereadores em 1892 referem-se à educação: Lei de Instrução, Regulamento Escolar, aulas noturnas e do município em circunscrições literárias. Encontramos, dessa forma, um “plano de educação”, caracterizando o município como um território pedagógico e não apenas político-administrativo. O município pedagógico tem sido entendido como uma entidade político-administrativa possibilitada no final do século XIX pela presença de uma legislação descentralizadora da gestão do ensino e a extensão da responsabilidade para com a instrução primária aos seus limites, levando à regulamentação local dessa obrigação. No âmbito da crença no poder regenerador da educação e da difusão dos sistemas escolares, as elites locais fazem uso desse processo para a definição de uma identidade municipal e para a defesa de objetivos particulares. Esta concepção tem nos motivado a avançar o estudo da formação do sistema de instrução pública no Brasil para além da análise estadual, estendendo essa investigação aos municípios, inicialmente tomando Uberabinha como referência. Pensando num projeto de história da educação comparada, temos buscado identificar a categoria município pedagógico em outras cidades do estado, expandindo o levantamento em Ouro Preto, Juiz de Fora, Araguari, Uberaba, Mariana, Paracatu, Montes Claros, Diamantina, Sacramento, Araxá, Patos de Minas, Serro, Rio Pomba, Teófilo Otoni. Esses resultados têm nos levado a repensar o processo de difusão dos sistemas escolares de ensino na segunda metade do século XIX e início do XX, chamando a atenção para o caráter também pedagógico do município. O limite temporal estabelecido foi, por um lado, 1889, com o início da República e, por outro, o ano de 1930, com o final da chamada Primeira República. Deve-se chamar a atenção que essas datas são apenas referenciais, podendo a pesquisa voltar-se tanto para períodos anteriores como posteriores. Em função dos resultados já alcançados, que corroboram boa parte de nossas hipóteses, propõe-se, neste momento, a retomada da documentação já compilada dos municípios pesquisados para promover-se análises complementares e/ou comparativas sobre as iniciativas pela instrução, seguida de incursões mais específicas ou complementares de levantamento de fontes em outros municípios ainda não estudados. Também serão pesquisados novos acervos documentais do Arquivo Público Mineiro (Belo Horizonte), relacionados às cidades com a documentação já organizada em nossa pesquisa, para se poder ampliar o horizonte e também as possibilidades de interpretação. Para a análise, serão utilizadas categorias comuns de análise, para se aquilatar as proximidades e os distanciamentos na formação do município pedagógico nas diferentes localidades do estado. Essas categorias vêm sendo discutidas e aprimorados pelo grupo de pesquisa nos últimos anos e permitem múltiplas “entradas” interpretativas. A documentação de quase todos os municípios pesquisados já se encontra catalogada e transcrita, pronta para utilização e a de outros com a transcrição em andamento.



• 2017 - Atual


Sociedade e cultura no Brasil: passado e presente

Descrição: Análise do processo de transformação da sociedade brasileira nos séculos XIX e XX, envolvendo educação, trabalho, relações sociais, organização sócio-política, políticas públicas e instituições sociais voltadas para os problemas e demandas oriundos do desenvolvimento econômico, como as destinadas à assistência de menores e idosos, à educação fundamental, média e superior, as novas relações de sociabilidade que se instauram no meio urbano, como a necessidade da qualificação para o trabalho, educação de jovens e adultos ,a reorganização da vida religiosa, etc..





REDES DE PESQUISA

1. Rede de Pesquisa Internacional sobre Desenvolvimento Profissional de Professores – RIDEP
Coordenação: Professora Dra. Vânia Maria de Oliveira Vieira

2. Rede de Pesquisadores sobre professores(as) no Centro-Oeste – REDECENTRO
Coordenação institucional: Professor Dr. Tiago Zanquêta de Souza
Coordenação geral: Professora Dra. Solange M. O. Magalhães (UFG)

3. Rede (Internacional) de Estudos sobre Educação – REED
Coordenação institucional: Professor Dr. Orlado Fernández Aquino




GRUPOS DE ESTUDOS E PESQUISA

1. GEPIDE – Grupo de Estudos e Pesquisas em Instrução, Desenvolvimento e Educação – CNPq.
Líder: Professor Dr. Orlando Fernández Aquino

2. GEPRESPE – Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Representações Sociais e Práticas Educativas – CNPq.
Líder: Professora Dra. Vânia Maria de Oliveira Vieira

3. GEEDiCi – Grupo de Estudos em Educação na Diversidade para a Cidadania.
Líderes: Professor Dr. Tiago Zanquêta de Souza e Professora Dra. Fernanda Telles Márques

4. GPEPE – Grupo de Pesquisa Espaços Plurais da Educação – CNPq.
Líder: Professor Dr. Professor Dr. Gustavo Araújo Batista


1996 - 2021 - UNIUBE - Todos os direitos reservados
Desenvolvido por
cpe@uniube.br
Central de Produção Eletrônica - UNIUBE