Sistemas de Informação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas: conheça as principais diferenças entre os cursos que crescem no mercado de trabalho

26 de julho de 21
1 / 1

O mercado de trabalho passou por grandes reformulações durante a pandemia da Covid-19. Algumas áreas tiveram que se reinventar e outras apresentaram grande crescimento durante esse período. Um estudo realizado pela Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação revela a perspectiva de crescimento no setor de tecnologia da informação, desenvolvimento e comunicação no período pós-pandemia. A perspectiva de crescimento até o próximo ano para cursos como Sistemas de Informação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas é de 19,3%.


Na Universidade de Uberaba (Uniube), esses cursos também estão em constante crescimento. Embora façam parte da mesma área de conhecimento, eles diferenciam-se em diversos fatores decisivos na hora de optar por qual deles cursar, como tempo de duração, foco dos conteúdos e demanda do mercado. Além disso, o grau acadêmico deles também é diferente, sendo o curso de Sistemas de Informação um bacharelado, com duração de quatro anos, e o de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, um tecnológico, com duração de dois anos e meio.


Segundo o diretor dos cursos de Sistemas de Informação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas, professor Luiz Fernando Ribeiro de Paiva, embora muito parecidos, os dois cursos possuem características marcantes de cada profissão. "Em ambos os cursos, o aluno tem a oportunidade de desenvolver habilidades voltadas ao marketing empresarial e ao empreendedorismo, por exemplo, sendo também estimulado quanto à realização de pesquisas na área da computação. Esses são alguns elementos que ampliam suas oportunidades de atuação como profissional", compartilha o professor.


Conheça cada curso


O curso de Sistemas de Informação é um curso de bacharelado que tem quatro anos de duração. O objetivo da especialidade é formar profissionais aptos a atuarem no planejamento, análise, desenvolvimento, utilização e avaliação de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) aplicadas à solução de problemas organizacionais e da sociedade. O egresso de Sistemas de Informação ainda acompanha a evolução do setor, de modo a contribuir com a busca de soluções tecnológicas adequadas às organizações e gerencia recursos humanos e tecnológicos associados aos sistemas de informação nas empresas. A formação, além de incluir disciplinas voltadas ao projeto e desenvolvimento de sistemas de software, tem ênfase também em campos como governança de T.I., redes de computadores, segurança, inteligência artificial e gestão empresarial apoiada em tecnologias.


Já o curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, por sua vez, é um curso superior tecnológico que tem duração de dois anos e meio.  Esse curso forma o profissional de tecnologia da informação que atua de forma eficiente, criativa e empreendedora em todas as fases do desenvolvimento de sistemas de software e aplicativos, objetivando o atendimento às necessidades das organizações e da sociedade. O egresso desse curso é capaz de analisar, projetar, desenvolver, testar, implantar sistemas computacionais de informação, como sistemas de gestão empresarial, aplicativos para dispositivos móveis, sites da internet e outros sistemas de software. Esse profissional, portanto, utiliza adequadamente as metodologias, tecnologias e ferramentas da engenharia de software, linguagens de programação e sistemas de bancos de dados na implementação de soluções computacionais.


Onde os profissionais podem atuar?


O diretor dos cursos de Sistemas de Informação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas explica que o mercado da Tecnologia de Informação (T.I.) está em constante crescimento. Os egressos de ambos os cursos podem atuar em empresas desenvolvedoras de soluções de software e em prestadoras de serviços na área de tecnologia da T.I.


"Considera-se, ainda, que a pandemia criou um cenário social em que computadores, suas redes e seus sistemas tonaram-se essenciais para os vários setores da economia e para as diversas atividades humanas. Há um vasto leque de oportunidades no mercado, o que se reflete no número de vagas disponíveis para os profissionais de Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC)", explica Paiva.