Estudante de Engenharia Ambiental realiza sonho de estudar no exterior

24 de outubro de 19
1 / 4
2 / 4
3 / 4
4 / 4

Em busca de oportunidades diferentes na carreira, o estudante do curso de Engenharia Ambiental da Uniube Uberlândia, Jonas Inácio Faria Neto, começou a se preparar para um intercâmbio antes mesmo de entrar em uma universidade. O aluno realizou o sonho e estudou por aproximadamente 11 meses na Universidade do Porto, em Portugal, pelo Programa de bolsas Ibero-americanas, do Santander Universidades.


“Eu procurei escolher aquela (universidade) que me ofereceria oportunidades como essa de realizar o intercâmbio, participar de grupos de pesquisa, grupos de estudo e até mesmo fazer uma iniciação científica. A partir disso, quando eu entrei na Uniube, li os editais que eram liberados, anualmente, e vi o que eu precisava fazer para me preparar e conseguir uma bolsa dessa. E descobri, em 2016, conversando com o coordenador do meu curso Prof. Dr. Fabricio Pelizer, sobre as bolsas Ibero-americanas, que é uma parceria do Santander com a Uniube e comecei a me preparar”, conta Jonas


A partir daí, Jonas começou a participar de palestras e a realizar atividades extracurriculares. O resultado não poderia ser diferente, o graduando foi aprovado pelo Programa. “Durante o período que eu estive lá, fiz algumas matérias obrigatórias que são exigidas no curso de Engenharia Ambiental e, além disso, realizei meu estágio obrigatório também. Fiquei lá por dois semestres e fiz cursos básicos de inglês e espanhol, que me ajudaram bastante a me comunicar com as pessoas”, continua.


O estudante destaca que a oportunidade foi incrível. “Faz a gente acreditar mais na gente e nos nossos próprios sonhos, faz a gente correr atrás deles, são oportunidades únicas que nos motiva a ser cada vez melhores. Porque lá nós convivemos com pessoas de diferentes nacionalidades, que conversam outros idiomas e de diferentes culturas da nossa. Faz a gente aprender muito, crescer muito como pessoa, ser humano e academicamente também, é claro”.


Para as pessoas que também almejam tais oportunidades, Jonas deixa o conselho: “Se a gente pode sonhar, então também podemos conquistar, mas nada cai do céu. Nós temos que abdicar de algumas coisas para realizar esse sonho. Focar bastante nos estudos, fazer tudo que a Universidade oferece, atividades extracurriculares, procurar por estágio, iniciação científica, participar de palestras, grupos de estudos, procurar fazer tudo o que é possível, porque cinco anos de graduação passam muito rápido. Se eu não tivesse começado a correr atrás dos meus objetivos desde o primeiro período, eu não teria conseguido realizar meu intercâmbio, por exemplo; eu não teria ido para Portugal, realizado um sonho, não teria chegado aonde cheguei. Eu acho que a gente tem que correr atrás dos nossos sonhos sim, focar nos objetivos, colocar metas e trabalhar para que isso dê certo”, finaliza.


Internacionalização Uniube


O coordenador do Escritório de Relações Internacionais da Uniube, professor Leonardo Assis, afirma que experiências como a de Jonas ajudam, além do próprio aluno, a Universidade também, estreitando laços com a comunidade internacional e levando o nome da educação brasileira para o mundo. “Alunos de cursos como: Direito, Engenharias, Psicologia, Medicina, Pedagogia, Medicina Veterinária e Odontologia são os que mais se interessam. Há inscrições de alunos EAD também. Alguns cursos de graduação têm essas atividades mais bem estruturadas e diuturnas”, explica o coordenador.


Atualmente a universidade não conta com um programa de intercâmbio próprio, mas trabalha com parcerias em vários países como, por exemplo, as políticas de acolhimento. “Atualmente dispomos de um convênio de cooperação que prevê a concessão de descontos para alunos bolivianos, indicados pela Asociación Boliviana de Criadores de Cebu - Asocebú Bolívia. Há planos para expansão de convênios nesse molde a outras associações em países da América Latina e Caribe”, afirma Leonardo.


A maior parceria da Uniube, hoje, é o Programa Santander Universidades de Bolsas Ibero-americanas, do Banco Santander. Por meio desse programa, os alunos participam de processos seletivos para realização do intercâmbio em países ibero-americanos.


É oferecido um auxílio, pelo programa, de três mil euros, por volta de 13 mil reais, na cotação de agosto de 2019.  “São disponibilizadas algumas bolsas por ano e essa quantidade é variável. Isto porque o número de bolsas varia conforme a política de gestão do patrocinador, ou seja, o banco. Na edição 2019 foram concedidas 5 bolsas, uma a mais em relação ao ano anterior”.