Alunos do Direito têm artigo aprovado em Congresso Internacional de Direitos Humanos

07 de outubro de 21
1 / 1

Os alunos do 10º período de Direito da Uniube, Mariele Luiz Fernandes e Vitor Marçal Mendes, tiveram trabalho aprovado no Simpósio 73, do VI Congresso Internacional de Direito Humanos, da Universidade de Coimbra, em Portugal. O artigo teve como objetivo analisar as razões que dificultam a efetivação dos direitos humanos diante da atual pandemia do coronavírus. O Congresso é um dos eventos científicos de Direitos Humanos mais importantes realizado em Portugal. Neste ano, devido à pandemia, o encontro aconteceu de forma virtual.


O trabalho consiste numa apresentação e publicação do artigo 'A Dicotomia entre a Soberania dos Estados e a Integral Efetivação dos Direitos Humanos em Âmbito Internacional Face à Recusa da Cooperação Mútua durante a Pandemia de Covid-19'. "A ideia para o projeto surgiu de uma publicação feita pela direção do curso de Direito no AVA [Ambiente Virtual de Aprendizagem], convidando os discentes para participarem deste Congresso. Interessada, mandei mensagem para o Vitor e no mesmo dia nos encontramos para traçar o tema, que servirá como impulsionador em nossa futura carreira de pesquisa.", conta a estudante Mariele.


Os alunos visam estudar especificamente se há uma maneira concreta de construir um acordo internacional a fim de que, unidos, os países possam compartilhar informações e insumos, preparando-se para uma atuação mais célere e efetiva quando o mundo for confrontado com novas ameaças. Para isso, verificaram todo o contexto histórico e os conceitos presentes no Direito Internacional. 


"Na primeira reunião, estruturamos o corpo do resumo a ser submetido nos prazos preestabelecidos. A animação e o ineditismo de nos inserirmos em eventos de tamanha magnitude tornaram a experiência surreal. Sentimento esse superado quando encontramos nossos nomes na lista de resumos aprovados. O êxtase de toda a experiência apenas realça o quão longe podemos ir quando se tem o apoio da Academia. Em especial, da diretoria do curso, que revisou o resumo e que diligenciou junto ao Escritório de Relações Internacionais os trâmites necessários para nossas inscrições.", complementa Vitor.


Ainda segundo os alunos, aprovações como esta reafirmam o papel dos discentes em um futuro como pesquisadores. "Desde os primeiros períodos do curso a vontade de seguir na pesquisa científica existe. Antes, estávamos sozinhos, mas agora, juntos, esboçamos metas para a execução destas ideias. Os professores sempre nos alertaram sobre a necessidade de se investir na área científica e concordamos com eles, já que ela é de extrema importância para o aprimoramento da nossa sociedade. Após a formatura, nós planejamos submeter projetos de pesquisa para intentarmos uma vaga no mestrado e, em seguida, queremos nos especializar para trabalhar como professores e pesquisadores dos diversos ramos do Direito.", contam os estudantes.


Vitor e Mariele concluíram, recentemente, uma iniciação científica pelo PIBIC.  "Este foi apenas um exemplo da parceria universidade-aluno, pois vimos, ao longo do curso, todo o amparo para que tivéssemos condições de finalizar projetos e participar de congressos e feiras de conhecimento. Além disso, toda a experiência que tivemos com as secretarias externas da Uniube foi edificante para a conclusão dos nossos intentos, já que sempre estavam abertas ao diálogo. Em suma, a Uniube nos concedeu uma visão interdisciplinar importantíssima para o debate salutar e o aprimoramento das ideias científicas, tornando nossa caminhada mais fácil e muito mais prazerosa. Sentiremos saudade, mas prometemos levar à frente os excelentes ensinamentos desenvolvidos aqui", finalizam.