Alunos de Medicina Veterinária da Uniube participam de seminário em Ribeirão Preto

23 de maio de 19
1 / 1

Os alunos do curso de Medicina Veterinária da Uniube participaram, este mês, do 25° Seminário Nacional de Criadores e Pesquisadores, realizado pela Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP), em Ribeirão Preto (SP). O intuito da visita foi mostrar aos estudantes as novas tecnologias relacionadas ao melhoramento genético animal associado a uma pecuária sustentável.


Durante a excursão, os 40 alunos participantes tiveram a oportunidade de assistir a 11 palestras ministradas por professores, pesquisadores e profissionais de empresas privadas do setor pecuário, bem como pecuaristas ligados ao melhoramento genético animal. Além de discussões referentes à avaliação genética, genômica, provas de eficiência alimentar e avaliações relacionadas a características de carcaça e carne.


Para o presidente da ANCP e professor, Dr. Raysildo Barbosa Lobo, o melhoramento genético é relevante. “Essa tecnologia é indispensável para uma pecuária de sucesso, com altos índices de fertilidade, ciclo curto de produção, eficiência alimentar, carcaças padronizadas, carne de qualidade e lucratividade para o criador. ”, explica.


Segundo o professor do curso de Medicina Veterinária, Guilherme Costa Venturini, oportunidades como essa são importantes para os estudantes. “Pode-se agregar novos conhecimentos para os alunos, uma vez que eles tiveram contato com alunos de outras instituições de ensino, com professores e pesquisadores de universidades e centros de pesquisa renomados e, assim, realizaram trocas de conhecimentos.”, ressalta.


Na oportunidade, o presidente da ANCP reforçou o convite ao professor Guilherme Costa Venturini para ser pesquisador da associação. “Essa é uma conquista profissional de grande relevância, tanto para a minha formação, quanto por ter acesso ao vasto banco de dados de fazendas associadas. Assim, haverá a oportunidade de produzir resumos e artigos científicos para os alunos do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) e Mestrado de nossa instituição. ”, finaliza Guilherme.