ACESSO EXCLUSIVO.           WEBMAIL
+ Menu

Projetos de Pesquisa

Os projetos em andamento coordenados por professores do Corpo Permanente estão alocados em duas Linhas de Pesquisa. 

O ENSINO E A APRENDIZAGEM DA ÁLGEBRA NOS ANOS FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 

Descrição: A qualidade da educação básica no Brasil, nas últimas décadas, tem se constituído em preocupação de órgãos e agências governamentais, de gestores, de pesquisadores do campo da educação e de professores que nela atuam. Os resultados das avaliações sistêmicas nacionais e internacionais, como o PISA e o SAEB, mostram que os estudantes brasileiros atingem baixos níveis nas escalas estabelecidas. No que se refere ao ensino e aprendizagem da matemática, o estudante ao final do Ensino Fundamental (9º ano) consegue fazer basicamente o que ele deveria ter competência para realizar ao final dos anos iniciais (5º ano). Esses resultados por si só mostram que investimentos, estudos e pesquisas devem ser realizados para que a aprendizagem matemática seja mais eficaz. Considerando, ainda, que as Tecnologias de Informação e Comunicação estão cada vez mais presentes na vida desses estudantes, inclusive nas escolas, e podem contribuir para a sua aprendizagem, essa pesquisa tem como objetivo geral: investigar como situações didáticas mediadas por recursos tecnológicos, particularmente os digitais, contribuem para a aprendizagem da álgebra nos Anos Finais do Ensino Fundamental. A pesquisa pretende, ainda, promover a formação e o desenvolvimento profissional de pesquisadores, de professores em serviço e a inserção social do Programa de Mestrado em Educação da Universidade de Uberaba UNIUBE. Optamos por uma abordagem qualitativa de pesquisa, guiada pelos pressupostos da Engenharia Didática que permite associar o plano teórico com o experimental da prática educativa. Essa metodologia divide a pesquisa em quatro fases distintas, porém, relacionadas: análises preliminares, análise a priori, experimentação e análise a posteriori. A pesquisa será desenvolvida em escolas públicas de ensino fundamental, situadas em Uberaba-MG. Serão sujeitos alunos dos Anos Finais do Ensino Fundamental, preferencialmente do 8º e 9º anos, que se dispuserem e forem autorizados pelos pais a participar do estudo.

Coordenação: 
Marilene Ribeiro Resende.  

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (5). 


A metodologia da pesquisa em psicologia histórico-cultural e didática desenvolvimental: contribuições de L. Vigotski, V. Davidov, M. Hedegaard e S. Chaikin. 

Descrição: Pesquisas recentes sobre Didática e formação de professores (LONGAREZI; PUENTES, 2011; LIBÂNEO, 2011; SGUAREZI, 2011) vem indicando que no Brasil se pesquisa muito sobre os fundamentos dessa ciência, mais muito pouco sobre as condições e os modos de realização do processo de ensino-aprendizagem; ou seja, que as pesquisas empíricas, experimentais, e de intervenção na realidade educativa para transformá-la, são ainda escassas. Unido a isso, a experiência está indicando que existe necessidade de continuar aprimorando a metodologia da pesquisa em didática desenvolvimental, para superar hibridismos e contradições metodológicas ainda existentes nesse campo. O objeto de estudo será a gênese e o desenvolvimento da metodologia de pesquisa na psicologia histórico-cultural e na didática desenvolvimental, a partir do exame das pesquisas realizadas por investigadores eminentes como Vigotski, Davidov, Hedegaard e Chaikin, abarcando quase um século de contribuições metodológicas (1920-2012). O método geral que orientará a pesquisa será o método dialético materialista e junto a ele, como método particular, usar-se-á o chamado método histórico-lógico, criado por Marx e explicitado por F. Engels. Como procedimento de coleta de informação se empregará a revisão da literatura ou investigação bibliográfica. A análise das informações coletadas realizar-se-á por médio da interpretação e interrogação das fontes consultadas. Esta investigação - considerada fundamental para a Didática- aspira a elaborar uma nova síntese metodológica que permita harmonizar teoria e metodologia de pesquisa no âmbito da didática desenvolvimental, em diálogo com outras aproximações teóricas também existentes no campo epistemológico da Didática no Brasil.

Coordenação: 
Orlando Fernández Aquino. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (2) / Mestrado acadêmico: (1). 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (7). 

Financiador(es): 
Universidade de Uberaba - Auxílio financeiro / Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa. 




REPRESENTAÇOES SOCIAIS DE LICENCIANDOS SOBRE UMA BOA PRÁTICA PEDAGÓGICA: O QUE REVELAM AS MEDIAÇÕES 

Descrição: Pesquisa caracterizada por uma abordagem qualitativa. Propõe examinar as mediações ocorridas entre aluno e conhecimento no âmbito dos cursos de Pedagogia e Matemática de algumas Instituições de Ensino Superior da região do Triângulo Mineiro - Universidade de Uberaba, Universidade de Uberlândia, Faculdade Católica de Uberlândia e Fundação Carmelitana Mário Palmério. Tem como foco as Representações Sociais construídas a partir da pergunta: O que é uma boa prática pedagógica para você? A análise dessas representações nos remeterá à compreensão de como têm sido os processos de mediação da aprendizagem em curso de formação de professores. O objetivo geral é identificar as Representações Sociais que estão sendo construídas por alunos concluintes dos cursos de Pedagogia e Licenciatura em Matemática, na modalidade presencial e a distância, sobre o que pensam ser uma boa prática pedagógica a partir dos processos de mediação da aprendizagem. E como objetivos específicos: identificar e analisar o perfil dos sujeitos; investigar a forma como o professor interage com os alunos, planeja e organiza o conteúdo, utiliza as estratégias de ensino, e avalia a aprendizagem, para compreender as práticas pedagógicas e a mediação pedagógica advinda dessas práticas; identificar o Núcleo Central das Representações Sociais sobre a boa prática pedagógica. Nos procedimentos de coleta de dados, serão incluídas a aplicação de questionário; técnica de associação livre de palavras, e a realização de grupos focais. Os dados coletados serão analisados com o auxílio da subteoria do Núcleo Central (Abric, 1998), tratados pelo software EVOC. Esperamos que esta pesquisa, ao identificarmos as representações sociais sobre as boas práticas pedagógica, possa oferecer subsídios de como tem sido a mediação pedagógica nos cursos de formação de professores e, a partir disso, contribuir com discussões e reflexões para a melhoria da qualidade da educação.

Coordenação: 
Vânia Maria de Oliveira Vieira.  

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (3) / Mestrado acadêmico: (7). 

Financiador(es): 
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Auxílio financeiro / Universidade de Uberaba - Auxílio financeiro. Número de orientações: 1 


ABORDAGENS SOBRE FUNDAMENTOS FILOSÓFICOS DA EDUCAÇÃO: CULTURA E PROCESSOS EDUCATIVOS 

Descrição: Este projeto foi elaborado com o propósito de somar-se às pesquisas feitas no Programa de Mestrado em Educação da Universidade de Uberaba, na linha de pesquisa intitulada: cultura e processos educativos. Seu principal enfoque encontra-se na investigação das articulações ou das relações entre a filosofia e a educação ao longo da trajetória histórica ocidental. A relevância aqui dada para a presente pesquisa repousa, principalmente, no fato de que pesquisas direcionadas a estudos de fundamentações teóricas (filosóficas) da educação são importantes por trazerem à tona debates sobre aquilo que orienta especulativa e pragmaticamente a atividade pedagógica ao longo de sua existência. Como fundamentação teórico-metodológica para esta pesquisa, têm sido escolhidos o materialismo histórico-dialético e a filosofia hermenêutica, uma vez que as suas categorias de análise e de síntese fornecem os elementos mais apropriados para uma abordagem centrada nas relações entre a filosofia e a educação. Os resultados aqui esperados caminham no sentido de oferecer trabalhos acadêmicos que explicitem modos pelos quais ideias filosóficas foram apropriadas pelo discurso educacional e que, por sua vez, tornaram-se parte do cotidiano pedagógico ao longo da história. PALAVRAS-CHAVE: EDUCAÇÃO, FILOSOFIA, FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO.

Coordenação: 
Gustavo Araújo Batista. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (5). 



AS RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO E A FILOSOFIA: A IMPORTÂNCIA DOS CLÁSSICOS DO PENSAMENTO FILOSÓFICO PARA A ESPECULAÇÃO E PARA A AÇÃO PEDAGÓGICA NO ÂMBITO DA CULTURA E DOS PROCESSOS EDUCATIVOS 

Descrição: Este projeto foi elaborado com o propósito de somar-se às pesquisas feitas no Programa de Mestrado em Educação da Universidade de Uberaba, na Linha de Pesquisa: Cultura e Processos Educativos. Seu principal objetivo é investigar as relações entre a filosofia e a educação, ao longo da trajetória da civilização ocidental. A relevância aqui dada para a presente pesquisa repousa, principalmente, no fato de que pesquisas direcionadas a estudos de fundamentações filosóficas da educação são importantes por trazerem à tona debates sobre aquilo que orienta especulativa e pragmaticamente a atividade pedagógica ao longo de sua existência. Como fundamentação teórico-metodológica para esta pesquisa, foram escolhidos, sobretudo, dois autores, um dos quais representa o materialismo histórico-dialético (Cf. GOLDMANN, 1967) e o outro representando a hermenêutica filosófica (Cf. GADAMER, 2008), uma vez que as suas categorias de análise e de síntese desses autores fornecem os elementos mais apropriados para uma abordagem centrada nas relações entre as teorias e as práticas pedagógicas, eixo de intersecção entre a educação e a filosofia. Os resultados aqui esperados caminham no sentido de oferecer trabalhos acadêmicos que explicitem modos pelos quais as ideias filosóficas foram apropriadas pelo discurso educacional e que, por sua vez, tornaram-se parte do cotidiano pedagógico ao longo da história. PALAVRAS-CHAVE: EDUCAÇÃO, FILOSOFIA, FUNDAMENTOS. PROCESSOS EDUCATIVOS.

Coordenação: 
Gustavo Araújo Batista 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (2). 

Financiador(es): 
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Auxílio financeiro. 



O Ensino Secundário em Minas Gerais: entre finalidades e práticas vivenciadas no Ginásio Triângulo Mineiro de Uberaba e no Ginásio Mineiro de Uberlândia (1930-1960) 

Descrição: A investigação insere-se na área de História da Educação, especificamente no campo da História das Instituições Escolares, com o objetivo geral de compreender as relações entre as finalidades prescritas e práticas vivenciadas, por meio da análise comparativa do Ginásio Triângulo Mineiro de Uberaba e do Ginásio Mineiro de Uberlândia, antigas escolas secundárias dos referidos municípios, na região do Triângulo Mineiro, em Minas Gerais, no período compreendido entre as décadas de 1930 e de 1960. As fases da investigação incluem: o conhecimento e análise das ideias educacionais mobilizadas e dos marcos prescritivos legais em termos nacionais e estaduais para o ensino secundário na primeira metade do Século XX, por meio de consulta bibliográfica e levantamento de documentação, em especial, junto ao Arquivo Público Mineiro; o levantamento, catalogação e a análise de documentação de interesse para à História da Educação existente em acervos públicos e privados de Uberaba e de Uberlândia e que se refiram especificamente ao Ginásio Triângulo Mineiro de Uberaba e ao Ginásio Mineiro de Uberlândia; o conhecimento dos processos sócio-históricos particulares que tornaram possível a existências destas instituições escolares, em meio às iniciativas de modernização, em especial de urbanização, de circulação e de escolarização empreendidas na primeira metade do século XX; a busca de evidências sobre as práticas escolares cotidianamente realizadas no Ginásio Triângulo Mineiro , de Uberaba, e no Ginásio Mineiro de Uberlândia , por meio da articulação de informações obtidas em pesquisa sobre iconografia, cultura material, depoimentos orais e outros recursos que se mostrarem necessários; a análise comparativa dos processos de efetivação do ensino secundário nos municípios de Uberaba e de Uberlândia, por meio, em especial, daquilo que se passava nas escolas examinadas de modo prioritário no período compreendido entre as décadas de 1930 e de 1960.

Coordenação: 
Giseli Cristina do Vale Gatti. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Financiador(es): 
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Auxílio financeiro. 


Sociedade e cultura no Brasil: passado e presente 

Descrição: Análise do processo de transformação da sociedade brasileira nos séculos XIX e XX, envolvendo educação, trabalho, relações sociais, organização sócio-política, políticas públicas e instituições sociais voltadas para os problemas e demandas oriundos do desenvolvimento econômico, como as destinadas à assistência de menores e idosos, à educação fundamental, média e superior, as novas relações de sociabilidade que se instauram no meio urbano, como a necessidade da qualificação para o trabalho, educação de jovens e adultos ,a reorganização da vida religiosa, etc.

Coordenação: 
Wenceslau Gonçalves Neto. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Financiador(es): 
Universidade de Uberaba - Auxílio financeiro / Universidade Federal de Uberlândia - Auxílio financeiro. 


Descentralização do ensino e ação municipal na educação brasileira: Minas Gerais no início da República (1889-1906) 

Descrição: Os registros das atividades da Câmara Municipal de Uberabinha (Uberlândia, a partir de 1929), explicitam uma preocupação decisiva pela instrução popular, o que se explicita nas 4 primeiras leis aprovadas pelos vereadores em 1892 (ano em que as Câmaras são reabertas após o período de Intendência instaurado com a República): referem-se todas à educação, incluindo Lei de Instrução e Regulamento Escolar, além de determinações com relação às aulas noturnas e à divisão do município em circunscrições literárias. Encontramos aí, dessa forma, um plano de educação, caracterizando o município como um território pedagógico e não apenas político-administrativo. O município pedagógico é, provisoriamente, entendido como uma entidade político-administrativa possibilitada no final do século XIX pela presença de uma legislação descentralizadora da gestão do ensino e a extensão da responsabilidade para com a instrução primária aos seus limites, levando à regulamentação local dessa obrigação. No âmbito da crença no poder regenerador da educação e da difusão dos sistemas escolares, as elites locais fazem uso desse processo para a definição de uma identidade municipal e para a defesa de objetivos particulares. Esta concepção tem nos motivado a avançar o estudo da formação do sistema de instrução pública no Brasil para além da análise estadual, estendendo essa investigação aos municípios, inicialmente tomando Uberabinha como referência. Já há alguns anos e pensando também num projeto de história da educação comparada, temos buscado identificar a categoria município pedagógico em outras cidades do estado de Minas Gerais, expandindo o levantamento em Ouro Preto, Juiz de Fora, Araguari, Uberaba, Mariana, Paracatu, Montes Claros, Diamantina e Sacramento (em Araxá, Patos de Minas, Serro, Rio Pomba e Teófilo Otoni os trabalhos de catalogação estão em fase de finalização), onde encontramos importantes documentos que retratam os esforços pela instrução pública no contexto municipal. Esses resultados têm nos levado a um repensar sobre o processo de difusão dos sistemas escolares de ensino na segunda metade do século XIX e início do XX, chamando a atenção para o caráter também pedagógico do município em realidades diferenciadas do interior brasileiro, notadamente Minas Gerais, onde o estudo sobre Uberabinha (mas não apenas nele) identificou a centralidade da educação nas preocupações da edilidade. O limite temporal estabelecido foi, por um lado, 1889, com o início da República e, por outro, o ano de 1906, marcado pela reforma João Pinheiro, que institui o sistema de grupos escolares no estado, abrindo caminho para uma nova fase na educação mineira. Deve-se chamar a atenção que essas datas são apenas referenciais, podendo a pesquisa voltar-se tanto para períodos anteriores como posteriores. Em função dos resultados alcançados, que corroboram boa parte de nossas hipóteses, propõe-se, neste momento, nova ampliação do universo de estudo, incluindo mais um conjunto de cidades mineiras, que serão definidas após avaliação da documentação disponível, a partir de uma lista discutida no grupo de pesquisa e apresentada no projeto. Para isso, serão utilizadas categorias comuns de análise, para se aquilatar as proximidades e os distanciamentos na formação do município pedagógico nas diferentes localidades do estado. Buscaremos trabalhar com municípios que tenham sua documentação organizada nos Arquivos Municipais ou disponibilizada por outros meios. Também buscamos cidades com instituições de ensino superior (no município ou nas proximidades), o que facilita o diálogo com outros pesquisadores e a formação de parcerias institucionais na catalogação e interpretação dos dados, além de permitir a inclusão de bolsistas de iniciação científica. A documentação de quase todos os municípios pesquisados já se encontra catalogada e transcrita, pronta para utilização.

Coordenação: 
Wenceslau Gonçalves Neto. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (1). 

Financiador(es): 
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa. 



Descentralização do ensino e ação municipal na educação brasileira: Minas Gerais no início da República (1889-1906) 

Descrição: Os registros das atividades da Câmara Municipal de Uberabinha (Uberlândia, a partir de 1929), explicitam uma preocupação decisiva pela instrução popular, o que se explicita nas 4 primeiras leis aprovadas pelos vereadores em 1892 (ano em que as Câmaras são reabertas após o período de Intendência instaurado com a República): referem-se todas à educação, incluindo Lei de Instrução e Regulamento Escolar, além de determinações com relação às aulas noturnas e à divisão do município em circunscrições literárias. Encontramos aí, dessa forma, um plano de educação, caracterizando o município como um território pedagógico e não apenas político-administrativo. O município pedagógico é, provisoriamente, entendido como uma entidade político-administrativa possibilitada no final do século XIX pela presença de uma legislação descentralizadora da gestão do ensino e a extensão da responsabilidade para com a instrução primária aos seus limites, levando à regulamentação local dessa obrigação. No âmbito da crença no poder regenerador da educação e da difusão dos sistemas escolares, as elites locais fazem uso desse processo para a definição de uma identidade municipal e para a defesa de objetivos particulares. Esta concepção tem nos motivado a avançar o estudo da formação do sistema de instrução pública no Brasil para além da análise estadual, estendendo essa investigação aos municípios, inicialmente tomando Uberabinha como referência. Já há alguns anos e pensando também num projeto de história da educação comparada, temos buscado identificar a categoria município pedagógico em outras cidades do estado de Minas Gerais, expandindo o levantamento em Ouro Preto, Juiz de Fora, Araguari, Uberaba, Mariana, Paracatu, Montes Claros, Diamantina, Sacramento, Araxá, Patos de Minas, Serro, Rio Pomba e Teófilo Otoni, onde encontramos importantes documentos que retratam os esforços pela instrução pública no contexto municipal. Esses resultados têm nos levado a um repensar sobre o processo de difusão dos sistemas escolares de ensino na segunda metade do século XIX e início do XX, chamando a atenção para o caráter também pedagógico do município em realidades diferenciadas do interior brasileiro, notadamente Minas Gerais, onde o estudo sobre Uberabinha (mas não apenas nele) identificou a centralidade da educação nas preocupações da edilidade. O limite temporal estabelecido foi, por um lado, 1889, com o início da República e, por outro, o ano de 1906, marcado pela reforma João Pinheiro, que institui o sistema de grupos escolares no estado, abrindo caminho para uma nova fase na educação mineira. Deve-se chamar a atenção que essas datas são apenas referenciais, podendo a pesquisa voltar-se tanto para períodos anteriores como posteriores. Em função dos resultados alcançados, que corroboram boa parte de nossas hipóteses, propõe-se, neste momento, nova ampliação do universo de estudo, incluindo mais 5 cidades mineiras, que serão definidas após avaliação da documentação disponível, a partir de uma lista discutida no grupo de pesquisa e apresentada no projeto. Para isso, serão utilizadas categorias comuns de análise, para se aquilatar as proximidades e os distanciamentos na formação do município pedagógico nas diferentes localidades do estado. Buscaremos trabalhar com municípios que tenham sua documentação organizada nos Arquivos Municipais ou disponibilizada por outros meios. Também buscamos cidades com instituições de ensino superior (no município ou nas proximidades), o que facilita o diálogo com outros pesquisadores e a formação de parcerias institucionais na catalogação e interpretação dos dados, além de permitir a inclusão de bolsistas de iniciação científica. A documentação de quase todos os municípios pesquisados já se encontra catalogada e transcrita, pronta para utilização e a de outros com a transcrição em andamento.

Coordenação: 
Wenceslau Gonçalves Neto. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (2). 

Financiador(es): 
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro. 


Ser professor no Brasil nos anos de 1920: profissão, profissionalização e profissionalismo 

Descrição: Profissão, profissionalização e profissionalização são os eixos organizadores do objeto de pesquisa, o ser professor nos anos de 1920. O que constitui a profissão nessa conjuntura, a profissionalização direcionada pelo Estado, bem como os processos que explicitam as aspirações docentes, além do profissionalismo, delineados como princípios orientadores. Trata-se de investigar sobre os métodos de ensino, as técnicas, as tecnologias educativas, a organização dos conteúdos, os objetivos e as finalidades da escola, o planejamento escolar, a organização curricular. Em suma, o papel do professor torna-se crucial para superar as dicotomias, a compartimentalização, ou mesmo a impermeabilização de que se tecem as diferentes pedagogias, didáticas, teorias pedagógicas, concepções educativas, bem como as políticas educacionais em vigência ou em gestação. Em termos gerais, trata-se de analisar o professor enquanto protagonista da educação escolar, através da literatura educacional e pedagógica manifesta em livros, periódicos, discursos, inquéritos, manuais escolares e anais de congressos, bem como através de documentos de ordem pública como a legislação educacional de caráter federal, as Mensagens dos Presidentes da República relativas ao período em análise e as Mensagens dos Presidentes de Estado sobretudo de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro - desde que envolvam aspectos vinculados à escola, à pedagogia, à didática, às concepções teórico-pedagógicas, aos norteamentos de caráter legislativo, aos métodos e às técnicas de ensino. Porém, tais temáticas estarão sintonizadas com a preocupação de lançar luzes para se compreender o ser professor uma espécie de busca por sua ontologia social - enquanto manifesta uma profissão, que insiste em certas dimensões da profissionalização. Processo n 304139/2010-6.

Coordenação: 
José Carlos Souza Araujo - Coordenador. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Financiador(es): 
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa. 



AS POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO A LEITURA: UMA (RE)LEITURA DO PROGRAMA NACIONAL DE INCENTIVO À LEITURA (PROLER) E SUAS IMPLICAÇÕES NO IDEB NO MUNICÍPIO DE UBERABA- MG. 

Descrição: Esta proposta de investigação tem como foco de análise compreender o Programa Nacional de Incentivo à Leitura (PROLER) e seus impactos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica IDEB, no âmbito da regional (composta por mais 9 municípios) de Uberaba, Minas Gerias. O PROLER é realizado anualmente, em conformidade com o calendário escolar oficial da rede municipal dos municípios da regional de ensino de Uberaba. Este programa propicia aos educadores participantes momentos de estudo, reflexão e aprendizagem, com vista ao aprimoramento da leitura, bem como se constitui em espaço para pensar novas práticas educativas, centradas na leitura e na escrita. Por outro lado, não há proposições de ações que visem aquilatar os efeitos concretos do PROLER enquanto programa para a melhoria da aprendizagem da leitura e da escrita. Neste sentido, o presente projeto buscará fazer um diagnóstico das atividades que, possivelmente, possam ser realizadas pelas escolas, procurando identificar as especificidades de cada escola, mediada pelo diálogo dos orientadores, alunos bolsistas e professores da educação básica, pois serão consideradas as atividades realizadas pelos docentes (nos espaços educativos) no âmbito do PROLER. Para tanto, foi pensado a realização de um fórum em que será apresentado o e-book produzido pela equipe, o qual trará os resultados do diagnóstico e indicações para se melhorar o Programa Nacional de Incentivo à Leitura em Uberaba. Este material trará o percurso da pesquisa, desde o levantamento de dados até as análise e conclusões, a partir dos dados, das informações e dos conhecimentos produzidos ao longo do percurso da pesquisa.

Coordenação: 
Luciana Beatriz de Oliveira Bar de Carvalho 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (3) / Especialização: (2) / Mestrado acadêmico: (3). 

Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Bolsa / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Bolsa. 



O PAPEL DOS MUNICÍPIOS NA ORGANIZAÇÃO DA INSTRUÇÃO PÚBLICA EM MINAS GERAIS: UBERABINHA E PATOS DE MINAS (1888-1930). 

Descrição: O município pedagógico é, provisoriamente, entendido como uma entidade político-administrativa possibilitada no final do séc. XIX pela presença de uma legislação descentralizadora da gestão do ensino e a extensão da responsabilidade para com a instrução primária aos seus limites, levando à regulamentação local dessa obrigação. No âmbito da crença no poder regenerador da educação e da difusão dos sistemas escolares, as elites locais fazem uso desse processo para a definição de uma identidade municipal e para a defesa de objetivos particulares. Esta concepção nos motivou a avançar o estudo da formação do sistema de instrução pública no Brasil para além da análise estadual, estendendo essa investigação aos municípios, no caso, tomando Uberabinha como referência. Em seguida, estas constatações nos levaram a pensar um projeto de história da educação comparada, buscando compreender o fenômeno da formação do município pedagógico em algumas cidades do estado de Minas Gerais. Esta opção remeteu a uma reflexão sobre a importância e os cuidados para com a história comparada, bem como à discussão do processo de difusão dos sistemas escolares de ensino na segunda metade do séc. XIX e início do XX, avançando a análise para além das perspectivas nacional e estadual. O que comporta a investigação do município pedagógico em realidades diferenciadas do interior brasileiro, notadamente Minas Gerais, onde o estudo sobre Uberabinha já identificou a centralidade da educação nas preocupações da edilidade. O limite temporal estabelecido foi, por um lado, 1889, com o início da República e, por outro, o ano de 1906, marcado pela reforma João Pinheiro, que institui o sistema de grupos escolares no estado, abrindo caminho para uma nova fase na educação mineira. Deve-se chamar a atenção que essas datas são apenas referenciais, não se configurando qualquer tipo de camisa de força para as orientações da pesquisa, que podem se voltar tanto para períodos anteriores como posteriores. Neste momento.

Coordenação: 
Luciana Beatriz de Oliveira Bar de Carvalho. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (4) / Mestrado acadêmico: (2). 

Financiador(es): 
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa / Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Bolsa. 



Educação para o trânsito: da facticidade à validade da lei 9.503/1997 

Descrição: Projeto estuda o papel da escola na formação do condutor no Brasil. A Lei 9.503/1997, o código de trânsito, designa a escola como formadora do condutor; entretanto, esta tarefa foi transferida para o CFC, centro de formação de condutor, o qual não está interessado em formar o condutor consciente e cidadão. No Brasil, morrem no trânsito 58.000 pessoas por ano e outras 352.000 ficam inválidas, resultado de um trânsito bárbaro e primitivo. Formar o condutor não pode se resumir a treiná-lo para conduzir um veículo no trânsito, mas também e, sobretudo, para de respeitar os pedestres, os sinais, os animais, a natureza e, por que não dizer, a vida. A educação para o trânsito não se realiza unicamente com campanhas, multas e treinamento nos Centros de Formação de Condutor. A escola e somente, pelo seu papel histórico na sociedade, é capaz de formar valores e consolidar condutas.


Coordenação: 
Osvaldo Freitas de Jesus. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (1) / Mestrado acadêmico: (1). 

Integrantes: 
Osvaldo Freitas de Jesus - Coordenador. 

Financiador(es): 
Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - Bolsa. 


Ética e Bioética: injunção religiosa em procedimentos médicos 

Descrição: Pesquisa procura reunir opiniões e percepções de médicos sobre a interrupção de gravidez de feto anencéfalo, viabilizada com a decisão do STF. Ao mesmo tempo, procura também considerar sabre a opinião que pacientes ou seus representantes têm sobre esse procedimento médico, sobretudo quando religiosos.



Coordenação: 
Osvaldo Freitas de Jesus. 

Situação: 
Em andamento; Natureza: Pesquisa. 

Alunos envolvidos: 
Graduação: (1). 

Integrantes: 
Osvaldo Freitas de Jesus - Coordenador. 

TRABALHE CONOSCO      SEJA PARCEIRO      CONTATO

Receba novidades no seu e-mail

Missão: "Promover o ensino e a geração de conhecimento, formando o profissional compromissado com uma sociedade justa."


 Teleatendimento


Presencial: 0800 34 3113
EAD: 0800 940 2444



Campus Centro
Av. Guilherme Ferreira, 217
Bairro Centro
38.010-200 - Uberaba/MG

CNPJ - 25.452.301/0001-87


Campus Aeroporto
Av. Nenê Sabino, 1801
Bairro Universitário
38.055-500 - Uberaba/MG

CNPJ - 25.452.301/0002-68


Campus Marileusa
Av. Floriano Peixoto, 6495
Bairro Granja Marileusa
38.405-184 - Uberlândia/MG
CNPJ 25.452.301/0008-5


Campus Gestão e Direito (UGD)
Av. Marcos Freitas Costa, 1041
Bairro Daniel Fonseca
38.400-328 - Uberlândia/MG

CNPJ - 25.452.3001/0004-20

1996 - 2018 - UNIUBE - Todos os direitos reservados
Desenvolvido   
pela